Poesia: Palavra/Impacto - palestra de Frederico Barbosa na Jornada de Literatura


Quinta-feira, 13 de setembro, 20h30 - teatro municipal Castro Alves
4.ª Jornada de Literatura de Araçatuba
Em Poesia: Palavra/Impacto, Frederico aborda os desafios do poeta, e afirma: "O iniciante não deve querer ser poeta, deve querer fazer bons poemas". Nesta palestra, Frederico Barbosa aborda o fazer poesia e os desafios de um poeta na busca pelos caminhos mais difíceis na composição de seus versos. "Entre outras coisas, fazer um poema é escrever usando todos os recursos imagináveis para causar o maior impacto possível no leitor. Compor um poema é controlar nos mínimos detalhes os efeitos que o texto vai provocar no leitor", diz Frederico. A palestra é destinada a todos os interessados por poesia e literatura em geral, sejam iniciados ou não, inclusive àqueles que desejam começar a escrever versos - a quem Frederico recomenda: "Para começar, precisa se despir de todas as ideias preconcebidas, românticas e preconceituosas que rondam o fazer poético. Como os conceitos de dom, talento e inspiração. Como a ideia de que o poeta é mais sensível ou que escrever poesia é sentir ou vivenciar emoções. Deve-se desconfiar de todas as mistificações da poesia e do papel do poeta".

FREDERICO BARBOSA
Professor de literatura, organizador de oficinas de criação poética e crítica literária e performer de poesia, publicou oito livros de poesia como Nada Feito Nada (1993, Prêmio Jabuti), Brasibraseiro, em parceria com Antonio Risério (2004, Prêmio Jabuti) e SigniCidade (2009), além de diversas antologias e obras didáticas. Foi curador da primeira biblioteca temática de poesia do país, a Alceu Amoroso Lima, em São Paulo. É Diretor da Casa das Rosas desde a sua reinauguração como Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura em 2004. Fundou e, entre 2008 e 2010, foi diretor executivo da Poiesis – Organização Social de Cultura, que administra a própria Casa das Rosas, a Casa Guilherme de Almeida e as Oficinas Culturais do Estado de São Paulo. Está no prelo o livro Na Lata, reunindo toda a sua produção poética de 1978 a 2011. É colunista da Rádio Estadão ESPN com o quadro Poesia Viva.