*Avaliação da feira do livro "Caminhos da leitura" em Araçatuba

Prefeito Cido Sério e o Secretário de Cultura, prof. Hélio Consolaro

A realização da Feira do  Livro "Caminhos da Leitura" em Araçatuba teve um formato diferente. Em vez de  a Prefeitura distribuir vales-livro para os alunos da rede municipal, como  ocorreram em alguns municípios (contrapartida municipal), resolvemos, diante dos impedimentos determinados pela legislação eleitoral, atualizar o acervo da biblioteca municipal Rubens do Amaral.

Isso prejudicou o marketing do  evento. O número de pessoas que compareceram foi  menor, mas por outro lado, percebemos que sempre havia cerca de 100 pessoas fazendo compras  em todos os momentos, que foi realizada de 1.º a 4 de novembro  de 2012,  das 9h às 19h. Vieram com as próprias pernas, não foi um movimento  artificial.  

Além do empenho do prefeito Cido na realização do evento, a viabilidade dele se deu porque Araçatuba passou a fazer parte do Consórcio Intermunicipal  Culturando.  Como a feira não foi realizada  em  maio,  conforme constava do calendário original da Fundação da Biblioteca Nacional (FBN). Ela passou para novembro, pegando um feriado, Finados,  2/11. Assim, apenas na quinta-feira (1.º/11) com presença  de escolares.
Contação de histórias

Pintura
 Apesar de todos esses  contratempos, foi melhor realizá-lo ainda em 2012, pois os R$ 100 mil reais repassados ao município pela FBN não foram  devolvidos, Araçatuba teve a sua sonhada  feira do livro (as últimas foram realizadas na década de 80, no Senac) e a biblioteca municipal, o seu acervo ampliado (desde a administração de Válter Tinti  que a Prefeitura não gastou um centavo na ampliação do número de  livros, ficando por  conta de doações).

Não sou supersticioso, as dificuldades funcionam como desafios, quanto maiores os obstáculos aumenta a persistência.  Não foi fácil terminar o teatro municipal Castro Alves, parece que havia “um sapo enterrado na porteira”, como diziam meus avós. Enfrentamos  e conseguimos. Estar à frente de qualquer entidade ou repartição é saber administrar problemas.
Contação de histórias na biblioteca
A biblioteca não é diferente. Já descobrimos a causa das trincas de suas paredes. Ao fazer um pequeno reparo nos banheiros do prédio, descobrimos que não havia cavalete, hidrômetro. O teatro e a biblioteca se conectavam com a rede de água de forma direta, sem  passar por registros. Com o hidrômetro colocado, a conta de água passou de R$ 5 mil reais.  Por consequência, constatou-se que as  trincas eram efeitos de um vazamento de água de décadas. Descobrimos a causa, agora precisamos atacar os efeitos.O prefeito Cido Sério (PT) se sentiu realizado com o evento, porque não havíamos conseguido ainda fazer intervenção alguma na biblioteca do pública município. Havíamos conseguido uma emenda  parlamentar (estadual,  via deputado Vicente Cândido) para reformá-la, mas quando chegou a hora de apresentar a matrícula  do imóvel no  cartório de registro, descobrimos que o prédio, tanto do teatro como da  biblioteca,  foi construído numa área verde. Isso caracteriza uma irregularidade grave,  que impede a participação em projetos, principalmente com a ajuda do Governo do Estado.

Agora, as forças estão voltadas para o Celebra Araçatuba, 104 anos. Temos motivos de sobra para comemorar. Cidade recuperada, cultura efervescente, gente feliz.

* Hélio Consolaro